quarta, 08 de maio de 2019 - 10:01h
Pesquisador do Amapá recebe premiação na área da saúde em congresso nos EUA
Thiago Teixeira é professor da Unifap e médico no Hospital de Clínicas do Amapá. Ele desenvolveu o trabalho em parceria com o pesquisador da USP, Jorge Hallak.
Por: Rafael Aleixo
Foto: Divulgação

O professor e pesquisador, Thiago Teixeira, da Universidade Federal do Amapá (Unifap) foi premiado durante o congresso internacional da Associação Americana de Urologia, que aconteceu de 3 a 6 de maio na cidade de Chicago, nos Estados Unidos.

A premiação foi na área de infertilidade, ciência básica e fisiopatologia. O trabalho foi realizado em coautoria com o professor Jorge Hallak, da Universidade de São Paulo (USP).

A pesquisa dos professores teve como título o “Consumo de maconha tem efeito deletério direto no espermatozoide por aumentar as espécies reativas de oxigênio em níveis 20x maiores que o cigarro: razões para preocupação com o uso indiscriminado”. O Instituto Androscience e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foram os financiadores do estudo. 

 

O fazer ciência...

Apesar das inúmeras dificuldades de se realizar pesquisa e fazer ciência, em um contesto nacional e local, os resultados e méritos alcançados através de premiações mostram a capacidade e a qualidade dos pesquisadores que atuam e ajudam a desenvolver o país.

As universidades públicas têm um papel fundamental nos avanços científicos nas mais diversas áreas do conhecimento. Na saúde, por exemplo, como o trabalho premiado em questão, feitos e descobertas significativas têm sido alcançados.

Em 2016, a pesquisa sobre o controle alternativo de moscas a partir da utilização da fruta sapoti rendeu ao professor do curso de Enfermagem do campus Binacional de Oiapoque, Carlos Manuel Dutok Sánchez, premiação na quarta edição do Prêmio Anual IOC de Teses Alexandre Peixoto 2016.

Em 2017 a pesquisadora Anna Eliza recebeu o Prêmio Capes de Teses, após desenvolver a investigação sobre a Sucupira-Branca, onde foi comprovada que a extração de recursos biológicos da planta, nativa da região amazônica, obtém eficácia acima de 70% na mortalidade de mosquitos Aedes aegypti (transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus) em depósitos de água.

O Amapá tem seu papel de destaque no cenário regional quando se fala de ciência. De acordo com dados disponíveis na Plataforma Sacaca, existem mais de 4600 pesquisadores que atuam desde o ensino básico, superior e nos institutos tecnológicos.

Como resultado de produção, esses pesquisadores geraram até o momento, em dados da Plataforma Lattes, mais de 46 mil produções bibliográficas, 14 mil produções técnicas e 42 patentes.

SETEC - Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia
Rodovia Juscelino Kubitschek - Km 02, Ramal da UNIFAP S/N - (96) 3216-8600 - setec@ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2019 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá